Que horas são?

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

 

O Azul e o Tempo

                                                     Oswaldo Montenegro

 
 
Nada pra se acreditar
Mas o tempo não manchou o azul
Nada pra se acreditar
Mas o vento baila o mar azul
Nada pra se acreditar
Mas tá tudo azul
Nada pra se acreditar
Mas a fé tingiu o azul de anil
Nada pra se acreditar
Mas os santos rezam pro Brasil
Nada pra se acreditar
Mas você já viu
Tudo que vai rebrilhar
Tudo que vai renascer
Tudo que vai nos salvar
Sem que a gente espere
Canta pra comemorar
Grita pra amanhecer
Solta o choro da alegria
Que a paz adere
Pra se acreditar
Que o tempo não manchou o azul
Pra  se acreditar
Que o vento baila o mar azul
Pra se acreditar
Que tá tudo azul



Oswaldo e Madalena viveram uma relação amorosa que, em determinado momento terminou, e o amor seguiu o caminho que deveria ser natural, transformou - se em amizade forte e com laços indestrutíveis. Lealdade e amorosidade.


Ouvir o depoimento emocionante de Madalena sobre a origem desta música é uma lição que enche o coração de energia. Por que há momentos na Vida em que tudo parece perdido, um túnel sem fim e mal iluminado; e só o que precisamos é de um abraço, uma palavra e um ouvido atento. 

Ela diz  "Sei que tendo alguém como Oswaldo na minha vida, pode vir o que for do lado de lá, que terá jeito!"
Uma segurança afetiva absoluta herdada de uma relação que deu os melhores frutos.

Ele diz: "A música foi um carinho na dor que Mada estava passando." 

Amor na potência 100!! Tão delicado, tão generoso, tão desprendido! Coisas que só um bom amor proporciona.
 

"Oswaldo é o Azul e o Tempo na minha vida!" (Madalena Salles)
 
 


Simples assim...

Um comentário:

  1. ainda não consigo falar....tá presa no peito grata Marcia

    ResponderExcluir